Lava Jato: o PT é o alvo (parte 5)

A diferença básica entre a política do PT e do PSDB: o PT investe no desenvolvimento das empresas nacionais para criar empregos no país e os recursos permanecerem no Brasil. O PSDB quer entregar o pré-sal, a produção e os recursos da Petrobras para as empresas estrangeiras. Esta é a quinta publicação de uma série de textos que mostram que a “Operação Lava Jato” é parte de uma ação orquestrada para prejudicar a imagem da esquerda e do principal partido que a representa, o Partido dos Trabalhadores. Acompanhe neste blog a série completa.

Valor e receita da Petrobras aumentaram com o PT

Não é difícil nos depararmos com discursos oportunistas afirmando que o PT “aparelhou” a Petrobras. Tentam passar a ideia de que a empresa é um cabide de empregos para pessoas desqualificadas e que ali foram postas apenas para controlar as ações institucionais e promover desvios de recursos para o partido e seus aliados.

O fato é que os funcionários são de carreira. Trabalham na empresa há muitos anos. Não são “cota” de partido X ou partido Y. Estão ali ocupando cargos de gerência e direção devido ao seu longo histórico de trabalho na empresa. Não foi o PT que os colocou ali.

Na verdade, com a chegada do PT ao Governo Federal o que se vê é o aumento do investimento na companhia; a realização de concursos públicos para qualificar e ampliar o quadro de funcionários especializados; ações para reestruturar a cadeia produtiva nacional do petróleo, como a criação do Programa de Mobilização da Indústria Nacional de Petróleo e Gás Natural (Prominp).

A Petrobras sempre teve um potencial estratégico para o Brasil. Mas, nem todos que passaram pelo governo investiram na empresa. Com os investimentos realizados pelos governos Lula e Dilma direcionados ao avanço tecnológico e à exploração de petróleo, a Petrobras obteve, entre 2004 e 2010, crescimento no volume de produção de óleo do pré-sal, na produção de derivados, nas suas reservas provadas e no volume diário de entrega de gás natural.

Entre 2003 e 2012, a receita da Petrobras cresceu 193,89%. No mesmo período, os ativos tiveram um incremento de 397,46% e o patrimônio líquido da empresa aumentou 599,72%, conforme informações obtidas na própria página da empresa na internet.

O site da companhia também traz os Resultados Consolidados do Primeiro Semestre de 2015, revisados pelos auditores independentes de acordo com os padrões internacionais de contabilidade (International Financial Reporting Standards – IFRS).

Os resultados mostram que, no primeiro semestre de 2015, o lucro líquido da Petrobras foi de R$ 5.861 milhões, 43% inferior em relação ao mesmo período de 2014. Já o lucro operacional alcançou R$ 22.822 milhões (crescimento de 39%) e o EBITDA ajustado foi de R$ 41.289 milhões (35% superior).

O segmento de petróleo é altamente especializado e o número de empresas que atua no segmento é limitado. As investigações da “Operação Lava Jato” nos mostraram que, devido a essa limitação, as empresas investigadas que prestam serviços para a Petrobras já trabalham para a companhia há muitos anos, desde governos anteriores.

É difícil novas empresas entrarem no mercado e, quando conseguem entrar e vencer uma licitação, geralmente essas novas empresas não conseguem concluir os contratos, devido a especificidade do trabalho para a Petrobras. Por isso, com o crescimento da estatal e com o objetivo de atender a demanda crescente, houve uma expansão no número de cursos para capacitar novos profissionais para atuarem neste mercado.

A política do PT, que levou ao investimento e ao crescimento da Petrobras, não agrada empresas estrangeiras que estavam acostumadas a explorar nosso País. Também não agrada aos “entreguistas” do PSDB, como podemos ver na declaração do deputado federal tucano Marcus Pestana, presidente do PSDB-MG, em resposta à jornalista Tereza Cruvinel, que o questionou se existe alguma solução para evitar a quebradeira de empresas e retomar as atividades na companhia. “Só vejo uma (solução), que será o ingresso das empresas estrangeiras no setor para substituir as empreiteiras que falirem. Isso não é uma bandeira do PSDB. É o que a realidade vai acabar impondo”.

petrobrax

Essa é a diferença básica entre as políticas sociais do PT e as políticas neoliberais do PSDB. O PT investe no desenvolvimento das empresas nacionais para criar empregos no país e os recursos permanecerem no Brasil. O PSDB quer entregar o País, a produção e seus recursos para as empresas de outros países.

Leia também:
O interesse por trás do ataque à Petrobras, por Sérgio Gabrielli

Lava Jato: o PT é o alvo (parte 1)
Lava Jato: o PT é o alvo (parte 2)
Lava Jato: o PT é o alvo (parte 3)
Lava Jato: o PT é o alvo (parte 4)

Anúncios

Deixe um comentário

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s