Mais manchetes criminosas para atingir Vaccari e o PT

Jantar, gráfica e mensagens. Factoides criados para destruir o legado de lideranças políticas honradas e de um partido que mudou a vida dos brasileiros na última década

Interpretações distorcidas, descontextualizadas e com o claro objetivo de usar informações velhas para atingir o partido frente a Presidência da República e destruir a carreira de todos os políticos petistas. Esse é o resumo das últimas publicações requentadas do Estadão a respeito do ex-tesoureiro do PT, João Vaccari Neto, e lideranças sindicais respeitadas que nada têm a ver com a Operação Lava Jato.

Publicadas no Blog do Fausto Macedo, parceiro assíduo dos vazamentos seletivos da turma da Lava Jato, as matérias, assim como o relatório da Polícia Federal, prestam um desserviço à sociedade e confundem a opinião pública ao se basear em suposições e mais suposições.

O roteiro da má-fé

“Presume-se”, “possivelmente”, “é possível que” e “pode ser”, sem contar o tal ‘suposto’, são os termos utilizados o tempo todo e transformados em fatos concretos nas manchetes. Mais do que isso. Fazem ilações absurdas entre supostas acusações de corrupção com a simples presença em um jantar. É mais do que patético, é criminoso.

É ou não é um absurdo a história da vez? Nas mensagens apreendidas no celular de Marcelo Odebrecht os policiais identificaram a palavra “vaca”. Logo, na interpretação certeira dos paladinos da moral e da justiça, “vaca” corresponderia a Vaccari.

Atente agora para esse trecho da matéria: “Na mesma anotação, de 9 de janeiro de 2013, há também um tópico específico sobre “créditos”, no qual há referência de porcentagens de 3% seguidas dos nomes “Vacareza”, uma possível referência ao ex-líder do governo na Câmara Cândido Vaccarezza”.

Parece piada de mal gosto, mas não é. Vejam a manchete que o Blog do Fausto Macedo fez questão de cravar: Anotações de Marcelo Odebretcht relacionam Vaccari a obras.

Será que o repórter tem certeza de que ‘vaca’ não pode estar relacionado ao termo “a vaca foi para o brejo”?

Vaccari já provou – inúmeras vezessua inocência. Será que Fausto Macedo pode apontar uma prova concreta sem espetáculo midiático que sustente as suposições, o “pode ser” ou o “presume-se” que ele faz todos os dias em seu blogue?

Estamos aguardando!

Mas os absurdos do dia não param por aí.

Jantar: mais um factoide

É uma hipocrisia que beira a insanidade. A mídia e a turma da Lava Jato tentam transformar em prova de crime um jantar do qual participaram Lula, Marcelo Odebrecht, Abílio Dinis, Roberto Setúbal, Jorge Gerdau, Luis Carlos Trabuco, entre outros. O tema: análise econômica.

Aécio, Alckmin e FHC podem jantar com Marcelo Odebrecht para pedir dinheiro para campanha eleitoral do PSDB, que a imprensa traduz como: ”tentar impulsionar a campanha do tucanato, numa espécie de força-tarefa de políticos e empresários”. Lula ser convidado para um jantar é crime. É isso mesmo? Sobre o jantar dos tucanos, confira a matéria de Gisele Vitória, na IstoÉ, intitulada O jantar para Alckmin e a força-tarefa de FHC para levantar Aécio.

O crime de Lula, presidente compromissado com a classe trabalhadora e os mais pobres, foi levar para um jantar na casa da elite dois sindicalistas, Juvandia Morandia Leite, presidente do Sindicato dos Bancários, e Sérgio Aparecido Nobre, do Sindicato dos Metalúrgicos do ABC.

Logo viram a possibilidade de fazer malandragens absurdas para sustentar nova manchete. E assim Fausto Macedo cravou: Gráfica ligada ao PT girou R$ 67 mi em cinco anos, aponta PF.

O leitor mais atento irá perguntar: mas o que a manchete tem a ver com o jantar? É isso mesmo. A intenção é confundir. Fazem a seguinte ligação: sindicalistas, que também são administradores da Gráfica Atitude, estavam presentes no jantar. Pronto. Gráfica ligada ao PT gira não sei quantos milhões em cinco anos. Ora, faça-me o favor.

Agora, eu me pergunto: quantas matérias sobre a privataria tucana este blogue fez? E sobre a corrupção na CPTM e no Metrô de São Paulo, lideradas pelos tucanos?

Já com relação à suposta ligação de Vaccari com a gráfica, acesse o dossiê na íntegra com as verdades sobre Vaccari. Esse questionamento já foi respondido mais de uma vez. João Vaccari Neto, como tesoureiro, fez solicitações para que depósitos fossem feitos a título de doações ao partido, em contas bancárias registradas e aprovadas pelo TSE.

Com a palavra, a verdade

Confira aqui a nota à imprensa da Editora Gráfica Atitude Ltda.

Anúncios

Deixe um comentário

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s